Mídia Programática: Solução automatizada na compra de anúncios

A questão de performance está no DNA da i-Cherry. Portanto, é preciso estarmos sempre atentos ao que há de mais eficaz para nossos clientes, incluindo aqui formatos de mídia display. Mas, não necessariamente da maneira tradicional, o chamado placement. Atuamos como uma Trading Desk, com a contribuição da tecnologia para ganho de escala sem abrir mão da precisão. Assim, por meio de uma DSP (Demand Side Platform) podemos comprar e gerir inventários de mídia display (banners, vídeo, Facebook ads e Mobile) em diversas Ad Exchanges, Ad Networks e portais.

  1. Planejamento e Gestão

    Fiel ao nosso DNA de mídia de performance, até mesmo campanhas tradicionalmente vistas como campanhas de Branding sempre apresentam indicadores de Performance (KPIs). Nosso Planejamento de canais digitais busca a compreensão de como cada ponto de contato pode atrair e/ou resgatar o consumidor para a jornada de decisão, marcando presença no momento em que estiver buscando por aquele produto ou serviço.

    O que fazemos:

    • Planejamento de canais de mídia paga (paid Media)
    • Recomendações para canais (proprietários (owned Media)
    • Banners em portais, sites e blogs
    • Mobile Media
    • Programmatic Media (DSP)
    • Ad Exchanges (incluindo Righmedia, Double Click, Facebook Exchange, entre outros).
    • Ad Networks
    • Native Ads / Branded Content
    • Behavioral Targeting
    • Remarketing
    • Placement

    Mobile Ads

    Em mobile ads podemos explorar:
    • Geo-localização
    • Segmentação por tipo de dispositivo e operadora
    • Google Display Network
    • Banners em aplicativos /jogos
    • Rich Media
    • RTB Real time Bidding
    • Idle Screen
    • CPD (Custo por Download)
    • CPC
    • CPM
  2. Media Trading Desk

    Uma Trading Desk Media Agency atua como um operador de bolsa de valores. Por meio de um console de uma DSP, realizamos processos de compra e otimização de campanhas em tempo real.

    Neste modelo, a compra de mídia está mais ligada à audiência do que ao formato ou posicionamento do anúncio.

    Via DSP:

    • New Audience
    • Remarketing
    • Facebook Exchange
    • RTB – Real time Bidding
    • Segmentação por interesse e perfil de audiência
    • Anúncios dinâmicos (xml)
    • Retargeting conforme comportamento de navegação
    • Publicidade direcionada por produto/serviço ou categoria
    • Produtos, páginas visualizadas e/ou + vendidos
    • Maior visibilidade para do mix de ofertas
  3. Remarketing

    O esforço para seguir um relacionamento com quem já efetuou uma compra no site é muito menor do que a conquista de um novo cliente. O mesmo acontece quando é preciso convencer uma pessoa que já visitou (considerou) aquele determinado produto ou serviço. Esta é a função do Remarketing. Embora já venha sendo bastante difundido no meio digital, a seguir um resumo de como exploramos este recurso para otimizar os investimentos em mídia.

    1. Uma pessoa visita o site após ter interagido com um anúncio da campanha (estímulo)
    2. Este visitante navega pelo site, visualiza produtos e efetua a compra (opção A) ou Abandona o carrinho (opção B)
    3. Um cookie é gravado, registrando os dados da campanha (interesses, originem de tráfego, etc.)
    4. Para quem comprou (opção A) apresentamos uma oferta de outro produto, promovendo o cross-selling ou o isolamos de acordo com ciclo de compra deste produto / categoria. Para quem não comprou (opção B), voltamos a impactá-lo com peças gráficas